Coluna: Luiz Paulo Horta




João Paulo II, um homem de oração

Por: Luiz Paulo Horta

 

O papa chegou gloriosamente aos seus 25 anos de pontificado — coisa que, em tempos modernos, só foi alcançada por Pio IX e por Leão XIII. Sua
resistência física e moral é extraordinária. Um dos motivos para isto é certamente o fato de ser ele um homem de oração. Gandhi dizia: “Eu não sou senão um homem de oração”. Palavra que caberia perfeitamente ao Papa. É o que se pode deduzir do livro agora editado em português —  “A sabedoria de João Paulo II”, ed. Record —, onde diversos trechos são dedicados à oração. 

 

Como o que se segue:

 

“A oração pode verdadeiramente mudar a sua vida. Pois ela tira a sua atenção de você mesmo e orienta sua mente e seu coração em direção ao Senhor. Se olharmos apenas para nós mesmos, com nossos pecados e limitações, rapidamente nos entregamos à tristeza e ao desalento. Mas se
mantivermos os olhos fixos no Senhor, então nossos corações se encherão de esperança, nossas mentes serão lavadas na luz da verdade e conhe-
ceremos a grandeza do Evangelho, com todas as suas promessas de vida” (discurso aos jovens em Nova Orleans, setembro de 1987).


Compartilhe
Envie por email
Imprimir
voltar topo da pagina

Contém Amor

Contém Amor

Agenda

Guia do Empreendedor...

Audioteca Sal e Luz...

Enquetes

Em quem você vai votar para presidente do Brasil, nesse ano?

 Aécio Neves

 Dilma Rousseff

 Marina Silva

 Outros

 Branco ou nulo

Ver resultado

Outras enquetes

Amaivos 2012 - Todos os direitos reservados.