Jesus Cristo

Eis o cordeiro de Deus!

O profeta Isaías, ao predizer sobre o Messias, irá chamá-lo de servo e será aquele em quem o Senhor será glorificado.  “Tu és meu servo, Israel, em quem serei glorificado.  Não basta seres meu servo para restaurar as tribos de Jacó e reconduzir os remanescentes de Israel: eu te farei luz das nações, para que minha salvação chegue até os fins da terra.” (Is 49, 3.6)  E é como servo que Jesus começará a se manifestar ao povo de Israel.  Ele, que sabedor da sua missão poderia vangloriar-se dela, faz-se servo, aquele que é manso e humilde de coração e que atende com alegria os desejos de seu Senhor.

Ao aproximar-se de João no rio Jordão a fim de ser batizado, Jesus será chamado pelo Batista de “Cordeiro de Deus”.  “Eis o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo!” (Jo 1, 29) – aclamará João ao ver Jesus que se aproxima com humildade para o batismo, querendo desde o início de sua missão fazer-se igual a todo aquele povo que procurava por consolo e conversão.

O cordeiro é um animal manso, pacato, e assim foi Jesus em sua manifestação à humanidade.  Sua mansidão não pode ser confundida com passividade.  Ao contrário, era uma resposta de não-violência a toda injustiça a que seu povo era submetida.  Sua mansidão era a tradução da paz própria daqueles que se encontram em comunhão contínua com Deus Pai e sabem-se fazendo a vontade do Criador.

Até hoje proclamamos as palavras de João Batista em nossas celebrações. A assembléia aclama o Cordeiro de Deus e Lhe pede piedade e paz.  Depois, Jesus Eucarístico é elevado à frente da assembléia e apresentado a ela Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo e respondemos a esta visão com um pedido de salvação.  Continuamos, como João, a nos sabermos indignos de desatar as correias das sandálias do Salvador.

À visão do Cordeiro de Deus Eucarístico devemos, pois, refletir:  fazemos da Eucaristia um momento de comunhão com o Senhor de modo que O deixemos transformar nossos corações com sua mansidão?  Desejamos firmemente sermos manso como Ele o foi?  Desejamos tornarmo-nos também Cordeiros de Deus, ainda que nos seja reservado o sacrifício?  A visão do Cordeiro continua a nos impelir à transformação, a um novo batismo, tal como João predisse então.  Jesus batizará não com a água, mas com o Espírito.  Permitamos, pois, que o Espírito do Cordeiro nos faça mansos e diligentes para com a construção da paz.
Textos para sua reflexão:
Is 49, 3.5-6
Jo 1, 29-34


Compartilhe
Envie por email
Imprimir
voltar topo da pagina

Contém Amor

Contém Amor

Agenda

Guia do Empreendedor...

Audioteca Sal e Luz...

Enquetes

O que você pretende mudar na sua vida em 2015?

 ter mais tempo pra minha família

 mudar de emprego

 viajar mais

 ajudar em um projeto social

 cuidar mais do meio ambiente

Ver resultado

Outras enquetes

Amaivos 2012 - Todos os direitos reservados.