Cultura

Memorial Irmã Dulce, porta de entrada do turismo religioso em Salvador

Aumenta a cada dia o número de turistas, devotos e peregrinos que visitam o Memorial Irmã Dulce, localizado no complexo onde funciona o Hospital Santo Antonio, no Largo de Roma, em Salvador. Por isso, o Memorial é o carro-chefe de uma grande campanha de divulgação do turismo religioso em Salvador. O projeto, lançado pela Emtursa - órgão de turismo da prefeitura municipal de Salvador, pretende incluir a cidade nos roteiros religiosos, a exemplo de outras cidades brasileiras, como Aparecida, em São Paulo, e Juazeiro do Norte, no Ceará, e no exterior - Santiago de Compostela, na Espanha, e Fátima, em Portugal - mundialmente conhecidas por quem procura uma opção diferente de passeio. O projeto tem o apoio do Sindicato das Empresas de Turismo da Bahia, agentes de turismo receptivo e as operadoras de viagem.

Maria Rita Lopes Pontes, diretora da OSID - Obras Sociais Irmã Dulce, está entusiasmada com a idéia: "Com esta divulgação nacional, o Memorial certamente será cada vez mais importante ponto de visitação turística em Salvador, e contribuirá para que consolidemos a obra criada por Irmã Dulce, cuja vida foi dedicada ao amor ao próximo e à busca de recursos para amparar a população carente".Parte do Memorial já se encontra aberto ao público e recebe a cada dia dezenas de visitantes de todo o Brasil e do exterior. Em março, por exemplo, data em que a OSID comemorou mais um aniversário de falecimento de Irmã Dulce centenas de brasileiros de vários estados ( entre eles 118 peregrinos do Rio de Janeiro) e um grupo de italianos, da cidade de Bergamo, visitaram o local, onde se encontram os restos mortais da religiosa, o quarto simples onde ela descansava e o museu com acervo de milhares de objetos relacionados à vida e obra da freira.

Através desta parceria, a Emtursa divulga o Memorial Irmã Dulce junto às entidades que integram a indústria do turismo e nos pontos de entrada da cidade, como o aeroporto e estações Rodoviária e Marítima. A idéia é que a campanha seja estendida a todo o Brasil e a outros países.

O Memorial - Uma exposição permanente guardando o legado de amor e caridade de Irmã Dulce. Assim é o Memorial Irmã Dulce, inaugurado em 1993, um ano após a morte da freira. A cada ano, cerca de 20 mil pessoas visitam o local, situado num prédio anexo ao Convento Santo Antônio na sede da OSID, em busca da memória de Irmã Dulce. O hábito usado por ela, fotografias, documentos e objetos pessoais podem ser vistos no Memorial, que ainda preserva, intacto, o quarto de Irmã Dulce, onde está a cadeira na qual ela dormiu por mais de trinta anos por conta de uma promessa. Outros fatos marcantes da vida da religiosa são lembrados através de maquetes, livros, diplomas e medalhas. Entre as peças do acervo, está a imagem de Santo Antônio, do século XVIII, pertencente à família de Irmã Dulce, diante a qual ela costumava rezar. Nas Obras Sociais, ela costumava apresentar o santo aos visitantes como o "tesoureiro da casa". A visita ao Memorial se estende ao túmulo de Irmã Dulce, localizado na Capela do Convento Santo Antônio. Parte integrante do Memorial, o núcleo de Memória da OSID reúne hoje um acervo de mais de nove mil peças, ajudando a preservar e manter vivos os ideais de Irmã Dulce.