Saindo do armário

"Sair do armário" é uma expressão tradicionalmente associada ao universo gay, e significa assumir publicamente sua condição de homossexual. Com o tempo, o significado se expandiu e hoje se refere a assumir publicamente qualquer tipo de posição, em contraste com aqueles que "estão no armário".

A analogia entre ateísmo e homossexualismo é sem dúvida curiosa, mas se refere somente à situação social em que vivem os membros de ambos os grupos. As semelhanças são muitas. Ambos os grupos sofrem forte rejeição na sociedade, o suficiente para romper vínculos profissionais ou afetivos, mesmo os mais fortes -- e tem sido assim há muitos séculos. Ainda existem leis para punir ateísmo e homossexualismo em várias partes do mundo, e indivíduos nos dois grupos têm sido identificados como essencialmente maus ou desequilibrados. Muitas pessoas crêem que ateus e homossexuais nunca podem ser verdadeiramente felizes e tentarão modificá-los a todo custo. Por causa disso tudo, também os ateus muitas vezes preferem ficar por anos no armário, ou suas vidas inteiras, a enfrentar reações de ódio e incompreensão. Quem pode culpá-los?

É claro que sair ou não do armário é uma decisão pessoal cujas consequências só podem ser avaliadas caso a caso e pelo próprio interessado. Mas é preciso considerar que existe um efeito perverso nos números: a dificuldade para sair do armário é reforçada pelo grande número de pessoas que ainda não saíram. Afinal, a rejeição se alimenta da raridade; a sociedade aceita melhor o que é mais comum, e tende a ver o incomum com maus olhos.

É importante perceber que sair do armário tem um efeito que é positivo não só para o restante da comunidade, mas para si próprio. Sair do armário significa ter força para ser você mesmo, significa não ter que mentir nem se esconder, significa ter orgulho, e não vergonha e medo, de ser quem você é. Poucas coisas podem ser mais gratificantes do que isso.

Não é à toa que a comunidade gay dá enorme importância para esse importante passo. Há numerosas listas de dicas, que em grande parte também servem para nós. Nos Estados Unidos, há 19 anos existe um National Outing Day. Mas os ateus ainda têm um longo caminho pela frente. Em 2007, pela primeira vez um congressista norte-americano saiu do armário. No ano passado, o proeminente biólogo e ativista do ateísmo Richard Dawkins, presidente da fundação que leva seu nome, lançou a Out Campaign (descrição em português aqui), uma campanha para tirar ateus do armário à qual a ATEA se subscreve integralmente. Leia, participe, se engaje. Estamos aqui para ajudar. O A escarlate é o símbolo dessa campanha.