Santo do Dia

Bem-Aventurada Madre Paulina (1865-1942)

A italiana Amábile Visintainer imigrou para o Brasil, junto com os pais, aos 10 anos de idade. No sul do país, trabalhou duro até a juventude, quando, com a ajuda da amiga Virgínia Nicolodi fundou um grupo com o objetivo de cuidar dos pobre e doentes: a Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição.

Em cinco anos, o grupo conseguiu a aprovação eclesial e, ao lado das companheiras, Amábile fez os votos, trocando o nome, passando, então, a chamar-se: Irmã Paulina do Coração Agonizante de Jesus.

As obras da congregação, que no início concentravam-se nas cidades de Nova Trento e Vígolo, expandiram-se para os centros urbanos, sobretudo São Paulo, visando a atender ex-escravos que passavam dificuldades nos grandes centros. Além disso, as irmãs também desenvolveram uma obra para idosos em Bragança Paulista, interior de São Paulo.

Já bastante idosa, Madre Paulina acompanhou, antes de falecer, o trabalho das irmãs no Mato Grosso, expandindo ainda mais a sua obra. Embora já tenha sido considerada Bem-Aventurada, seu processo de canonização ainda está em andamento e seu desfecho é aguardado por milhares de brasileiros que acompanharam e/ou foram assistidos por seu trabalho.

Santificando a vida:

Em nosso país, tão castigado pelas injustiças sociais, sou capaz de fazer a minha parte?