Espaço Social

Pílulas Espirituais - 17/outubro

Publicado em 18/10/2018 por: Pe. Pedro Magalhães Guimarães Ferreira S.J.

384.« Voce supõe que eu tenha uma vida espiritual ? Eu não a tenho, eu sou indigência, sou silêncio, sou pobreza, sou solidão, porque eu renunciei à espiritualidade para encontrar Deus e é Ele que prega […] nas profundidades da minha indigência ». (The intimate Thomas Merton. Edited by P. Hart and J. Montaldo. Harper : San Francisco, 1999, p. 86

385.“... a perfeição de todas as virtudes morais está “no meio” [entre dois extremos]. As virtudes morais dizem respeito a paixões e operações, as quais devem ser reguladas de acordo com a razão; [...], portanto o correto nas virtudes morais está no meio entre o que é excessivo e o que é deficiente” (São Tomás de Aquino, Super Sent., lib. 3 d. 33 q. 1 a. 3 qc. 1 co.)

386.“... na justiça é necessário buscar o meio, não só da razão, mas também na coisa, porque a justiça diz respeito a operações e segundo a ordem de uma coisa com relação a outra.” (Idem, qc. 2 co.)

387.[São quatro as chamadas virtudes cardeais: prudência, justiça, fortaleza e temperança.]

388.“... a prudência é a principal das virtudes cardeais e a ela se reduzem, como que a causa, as outras. Donde Antonio [de Pádua?] diz que a discrição, que pertence à prudência, é a geradora e guardiã das virtudes.” (Idem, q. 2 a. 5 co.)

389.“... o objeto das virtudes intelectuais consiste em que a verdade seja dita. A verdade é a adequação entre o que é pensado, o que é dito e a coisa sobre a qual se fala. (Idem, q. 1 a. 3 qc. 3 co.)

Pe. Pedro M. Guimarães Ferreira S.J.